Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora ...

Há pequenos instantes de vida que preenchem o momento. O instante foge. Eternizam-se ou passam despercebidos. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.

31
Mar17

rua do Canelho

DSC03464.JPG

 A Alagoa é uma pequena aldeia do concelho de Vila Flor. São cada vez menos os seus habitantes residentes. Há muito que já não escola. Não há café ou qualquer tipo de comércio. O silêncio e a solidão reinam em todos os recantos. As casas típicas jazem em ruínas. Desertas e abandonadas as suas histórias são apenas memórias. Cresci com esta aldeia no coração. Foram muitos os verões e natais que lá passei. Tenho recordações maravilhosas dos momentos que lá vivi. Agora apenas faço uma breve passagem de quando em vez.

 

 

DSC03467.JPG

A minha avó morava no coração da aldeia.  Uma pequena rua sem saída. Na rua do Canelho moraram durante décadas os Gonçalves. Nas pequenas casas moravam os pais, os filhos, guardava-se o burro, criava-se o porco...

 

Num canto acendia-se o lume, noutro dormia a família, geralmente numerosa, e noutro salgava-se o porco.

 

DSC03466.JPG

Chegaram a morar na rua quarenta pessoas. Eram tempos difíceis, porém, fartos de grande solidariedade humana. A alegria e as brincadeiras das crianças enchiam a rua. Ao fundo da rua, ao lado da carroça, era a escola.

 

DSC03460.JPGO que hoje sobra em espaço falta em vida. Agora não passa de uma rua fantasma perdida na aldeia.

 

fotos | Alagoa | março'17

21
Mar17

uma visita ao nordeste transmontano

DSC03380.JPG

No último fim de semana de inverno o sol reinou e as temperaturas quase de verão fizeram as delicias de uma família pelo nordeste trasmontano.

 

DSC03468.JPG

 Como o Dia do Pai era ao Domingo resolvi surpreender o meu Pai levando-o às suas origens.

 

2.JPG

 A primeira paragem foi na princesa do Tua...

 

DSC03209.JPG

 ... e rainha da alheira...

 

DSC03140.JPG

 ...Mirandela pois claro.

 

1.JPG

 Almoçamos no Restaurante "A Adega", um excelente restaurante típico.

 

DSC03278.JPG

Como o sol convidava a praia, e ainda não conhecia a famosa Albufeira do Azibo, pareceu-me o dia perfeito para fazer uma visita às suas praias.

 

3.JPG

 O local é mesmo encantador e a temperatura até convidava a um mergulho, mas não tinha biquíni 

 

DSC03314.JPG

 Uma breve pausa em Alfândega da Fé para refrescar e descansar um pouco. 

 

IMG_2824.JPG

 Chegamos à Quinta da Terrincha a meio da tarde. Já é um espaço familiar que não nos cansamos de repetir, onde tudo é fantástico e especial: o ambiente, as pessoas, a quinta, as casas, é mesmo impossível não gostar.

 

DSC03338.JPG

 Surpreendeu e superou as nossas expectativas na primeira visita e ainda surpreende a cada nova visita.

 

 IMG_2624.JPG

Jantamos no Restaurante "Canto da Terrinha , que agora não é explorado pela Quinta, mas a comida continua boa.

 

DSC03336.JPG

 A manhã de Domingo foi dedicada ao descanso quase absoluto.

 

DSC03470.JPG

 Perto da hora de almoço subimos para a aldeia, que fica a meia hora da quinta, para almoçarmos com a família.

 

DSC03483.JPGO resto do dia foi de visita à aldeia e à família.

 

DSC03574.JPG

 Tentei arranjar um novo amigo...

 

DSC03576.JPG

 ... mas não fui bem sucedida.

 

DSC03491.JPG

 Ao final do dia regressei a casa de alma revigorada.

 

fotos | março'17

15
Set16

o regresso do rebanho

IMG_7272.JPG

IMG_7268.JPG

IMG_7265.JPG

 

 

 

   

Eu nunca guardei rebanhos,
Mas é como se os guardasse.
Minha alma é como um pastor,
Conhece o vento e o sol
E anda pela mão das Estações
A seguir e a olhar.
Toda a paz da Natureza sem gente
Vem sentar-se a meu lado.
Mas eu fico triste como um pôr de sol
Para a nossa imaginação,
Quando esfria no fundo da planície
E se sente a noite entrada
Como uma borboleta pela janela.

Mas a minha tristeza é sossego
Porque é natural e justa
E é o que deve estar na alma
Quando já pensa que existe
E as mãos colhem flores sem dar por isso.

(...)

Alberto Caeiro (Guardador de Rebanhos)

 

  ♥ FOTOS | Alagoa | setembro'16 ♥

08
Set16

colher amoras [pelos caminhos da aldeia]

 

0.JPG

 

Sábado passado foi dia de recuar no tempo e colher amoras pelos caminhos da aldeia. De silva em silva lá fomos apanhando as amoras maduras, doces e suculentas.

 

 

 

A amora silvestre quando madura é doce e preta. É um simbolo do verão. Lembra dias quentes colhendo amoras no caminho manchando as mãos com o seu sumo cor de vinho. Um fruto muito saboroso e ótimo para a saúde.

 

 

7.JPG

 

Amoras amadurecem,

Protegidas pelo verde silvado,

Morenas que não se esquecem,

Irresistíveis que do desejo crescem,

Espinhos afiados a protegem do pecado,

Serão tão amadas sem nunca terem amado,

Por quem as ama sem nunca as ter provado!...

 

…Talvez os espinhos,

Sejam a provação dos caminhos,

Que na espinhosa silva demora,

O prazer de provar uma amora!...

                                  (poema - blog d'Alma)

♥ FOTOS | Alagoa | setembro'16 ♥

20
Jul16

cenários de um Douro [as histórias que moram lá]

IMG_2553.JPG

Quando observo a paisagem do Douro Vinhateiro imagino outros tempos, cenários de um Douro de antigamente repleto de vida. Desde a construção dos socalcos à plantação e tratamento das vinhas, passando pelas vindimas e todo o trabalho manual que as envolvia, o transporte das pipas em barcos rabelos pelo rio Douro. São muitas as histórias que moram lá. 

Nunca me canso de ouvir as histórias fascinantes narradas pelo meu pai e a Quinta do Carrascal faz parte da história da sua vida repleta de aventuras.

 

 ♥ foto | Quinta da Terrincha | junho'16 ♥

 

12
Jul16

por baixo da terra [atravessar o Marão]

 

 

"...Vou falar-lhes dum Reino Maravilhoso. ... Para cá do Marão, mandam os que cá estão!..."

(Miguel Torga)

 

IMG_2192.JPG

 

 

O maior túnel da Península é realmente uma obra de engenharia admirável. Atravessar o Marão por baixo da terra nada tem a ver com o traçado sinuoso, perigoso e imprevisível do IP4.

O Túnel do Marão juntamente com a nova autoestrada A4 e o IC5 fazem toda a diferença, em termos de tempo e conforto, nas minhas idas à aldeia. 

Todas estas novas infra-estruturas aproximam este território do litoral e contribuem para o desenvolvimento de uma região envelhecida e esquecida.

No entanto, as estradas típicas, verdadeiras montanhas russas de sobe e desce, com sucessivas curvas e contra curvas, são de uma beleza singular, com paisagens de cortar a respiração e para quem está de visita turística recomendo fazer esses percursos para melhor conhecer as pequenas aldeias e descobrirem belezas únicas.

 

♥ fotos | Marão | junho'16 ♥



 

07
Jul16

em tons de verde [Douro que me seduz]

 

 

 

(...) Crescem os olhos nas vides

e chegam as folhas primeiro.

O manto começa por ser verde;

o Douro a coberto de luz

com os raios de sol brilhantes.

 

É este o Douro que nos seduz!

As paisagens sem igual

são a vida deste Douro,

são estas imagens reais

que são tidas a peso de ouro.

 

Quem conhece não quer partir,

porque transborda de paz e calma.

Vem gente de fora só para ver

que o Douro tem grande alma (...)

 

 

 ♥ fotos | Alagoa | junho'16 ♥

 

 

05
Jul16

apanha de cereja [na aldeia]

 

"As palavras são como as cerejas: vão umas atrás das outras"

 

 

 

 

Desde as folhas ao caroço passando pelos pés tudo da cereja pode ser aproveitado para a saúde e para a beleza. Muito apreciado no inicio do Verão, é um fruto que além de muito saboroso é uma fonte rica de nutrientes, vitaminas e minerais.

 

♥ fotos | Alagoa | junho'16 ♥

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.