Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora ...

Há pequenos instantes de vida que preenchem o momento. O instante foge. Eternizam-se ou passam despercebidos. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.

14
Ago17

a beleza nada aprende

lagoa_óbidos_abril17_04

 

 

Canto

 

A beleza não aprende a ser bela
e vive de ignorar
que o tempo a espreita sem a ver.

 

Antigamente nossos pais nos levavam para ver no campo
a madureza da fruta.
E no seixo que jogávamos no meio do rio,
cristal de impiedade, se espelhava a vida.

 

A beleza nada aprende
e ser é o seu segredo
- se você acender a lâmpada da sala,
até a varanda ficará clareada.

 

A beleza não aprende a morrer.

 

Não nos comunicamos com os corpos,
nossa parada é jogada com as almas.

 

As cortinas esvoaçam, nutrindo-se de noroeste
e as formigas preferem jantar os mortos.

 

A beleza quer sempre ficar acordada.

 

Sempre evitamos o conforto dos abismos.
Por isso são brancas as mortalhas
com que nos cobrimos na hora de dormir.

 

A beleza não concorda em morrer
e morre
como os antigos deuses, Ágata, que exaltaram a vida,
como os modernos deuses que insistem em apregoar a conveniência da morte.

 

Lêdo Ivo

 

 

foto | Lagoa de Óbidos | abril'17

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.