Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora ...

Há pequenos instantes de vida que preenchem o momento. O instante foge. Eternizam-se ou passam despercebidos. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.

20
Jul17

desejos vãos

foto Cascata de Ézaro junho'17 11

 

 

Eu queria ser o mar de altivo porte
Que ri e canta, a vestidão imensa!
Eu queria ser a Pedra que não pensa,
A pedra do caminho, rude e forte!

 

Eu queria ser o Sol, a luz intensa,
O bem do que é humilde e não tem sorte!
Eu queria ser a ávore tosca e densa
Que ri do mundo vão e até da morte!

 

Mas o Mar também chora de tristeza...
As ávores também, como quem reza,
Abrem, aos Céus, os braços, como um crente!

 

E o Sol altivo e forte, ao fim de um dia,
Tem lágrimas de sangue na agonia!
E as Pedras...essas...pisa-as toda gente!...

 

Florbela Espanca

foto | Cascata de Ézaro | junho'17 
texto | in "Florbela Espanca - Sonetos" - Bertrand Editora | 2009

19
Jul17

o rio que passa dura

foto Cascata de Ézaro junho'17 03

 

 

O rio que passa dura
Nas ondas que há em passar,
E cada onda figura
O instante de um lugar.


Pode ser que o rio siga,
Mas a onda que passou
É outra quando prossiga.
Não continua: durou.


Qual é o ser que subsiste
Sob estas formas de estar,
A onda que não existe,
O rio que é só passar?


Não sei, e o meu pensamento
Também não sabe se é,
Como a onda o seu momento
Como o rio ?

 

Fernando Pessoa

foto | Cascata de Ézaro | junho'17
texto | in "Pessoa e Pessoas de Pessoa" - EXINOV Editora | 2010

17
Jul17

como o véu solto na dança

foto Cascata de Ézaro junho'17 13

 


Eu bem sei que te chamam pequenina
E ténue como o véu solto na dança,
Que és no juizo apenas a criança,
Pouco mais, nos vestidos, que a menina...

 

Que és o regato de água mansa e fina,
A folhinha do til que se balança,
O peito que em correndo logo cansa,
A fronte que ao soffrer logo se inclina...

 

Mas, filha, lá nos montes onde andei,
Tanto me enchi de angústia e de receio
Ouvindo do infinito os fundos ecos,

 

Que não quero imperar nem já ser rei
Senão tendo meus reinos em teu seio
E súbditos, criança, em teus bonecos!

 

Antero de Quental, in "Sonetos»

 

foto | Cascata de Ézaro | junho'17

11
Jul17

não, nem no sonho a perfeição sonhada

foto Cascata de Ézaro junho'17 02

 

 

Não, nem no sonho a perfeição sonhada
Existe, pois que é sonho. Ó Natureza,
Tão monotonamente renovada,
Que cura dás a esta tristeza?
O esquecimento temporário, a estrada
Por engano tomada,
O meditar na ponte e na incerteza...


Inúteis dias que consumo lentos
No esforço de pensar na acção,
Sozinho com meus frios pensamentos
Nem com uma esperança mão em mão.


É talvez nobre ao coração
Este vazio ser que anseia o mundo,
Este prolixo ser que anseia em vão,
Exânime é profundo.


Tanta grandeza que em si mesma é morta!
Tanta nobreza inútil de ânsia e dor!
Nem se ergue a mão para a fechada porta,
Nem o submisso olhar para o amor!

 

Fernando Pessoa

foto | Cascata de Ézaro | junho'17
texto | in "Pessoa e Pessoas de Pessoa" - EXINOV Editora | 2010

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.