Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora ...

Há pequenos instantes de vida que preenchem o momento. O instante foge. Eternizam-se ou passam despercebidos. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.

30
Nov17

os ouriços

 

DSC09104

 

DSC09071

 

DSC09063

 

Só em Novembro as agita uma inquietação funda, dolorosa,

que as faz lançar ao chão lágrimas que são os ouriços.

Abrindo-as, essas lágrimas eriçadas de espinhos

deixam ver numa camada fofa a maravilhosa singular de que falo,

tão desafectada que até no próprio nome é doce e modesta – a castanha.

 

Miguel Torga, “Um Reino Maravilhoso” 1941

 

fotos | Alagoa | Novembro'17

26
Jun17

Carnota

DSC04815

  

Carnota é uma simpática aldeia galega pertencente ao concelho de Muros.

 

 

DSC04833

  

A Igreja Paroquial de Santa Comba é o monumento mais representativo de arte religiosa de Carnota.

 

 

DSC04826

 

 O "igrexario de Carnota", localizado na horta da Igreja, é composto por um pombal... 

 

 

DSC04820

 

...e por um enorme espigueiro do século XVII com 34 metros de comprido, declarado Monumento Nacional.

 

 

DSC04823

 

 Assente sobre onze pares de colunas são os depósitos de grão e armazenamento hortícola mas comprido da Galiza.

 

 

DSC04813

 

A praia de Carnota é a mais comprida da Galiza com cerca de sete quilómetros de extensão. Uma praia irresistível de areia imaculada e água pouco profundas rodeado por um conjunto único de dunas, marismas e lagoas.

 

DSC04808

 

Uma das praias mais virgens e de grande beleza de todo o pais. Pela sua magnifica beleza foi considerada pela revista alemã " Traum Strände" uma das cem melhores do mundo.

 

fotos | Carnota - Galiza | junho'17

 

 

29
Abr17

o quintal onde a gente brincou

DSC03454

 

Acho que o quintal onde a gente brincou é maior do que a cidade. A gente só descobre isso depois de grande. A gente descobre que o tamanho das coisas há que ser medido pela intimidade que temos com as coisas. Há de ser como acontece com o amor. Assim, as pedrinhas do nosso quintal são sempre maiores do que as outras pedras do mundo.


Manoel de Barros

 

foto | Alagoa | março'17

28
Abr17

canção da tarde no campo

DSC03484

 

Caminho do campo verde,
estrada depois de estrada.
Cercas de flores, palmeiras,
serra azul, água calada.

 

Eu ando sozinha
no meio do vale.
Mas a tarde é minha.

 

Meus pés vão pisando a terra
Que é a imagem da minha vida:
tão vazia, mas tão bela,
tão certa, mas tão perdida!

 

Eu ando sozinha
por cima de pedras.
Mas a flor é minha.

 

Os meus passos no caminho
são como os passos da lua:
vou chegando, vais fugindo,
minha alma é a sombra da tua.

 

Eu ando sozinha

por dentro dos bosques.
Mas a fonte é minha.

 

De tanto olhar para longe,

não vejo o que passa perto.
subo monte, desço monte,
meu peito é puro deserto.

 

Eu ando sozinha,
ao longo da noite.
Mas a estrela é minha.

 

Cecília Meireles

 

foto | Alagoa | abril'17

10
Abr17

a vida me ensinou...

 

DSC03482.JPG

 

  

«A vida me ensinou...
A dizer adeus às pessoas que amo,
Sem tira-las do meu coração;
Sorrir às pessoas que não gostam de mim,
Para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam;
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade,
Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar;


Calar-me para ouvir;
Aprender com meus erros.
Afinal eu posso ser sempre melhor.
A lutar contra as injustiças;
Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo,
A ser forte quando os que amo estão com problemas;
Ser carinhosa com todos que precisam do meu carinho;
Ouvir a todos que só precisam desabafar;
Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos;
Perdoar incondicionalmente,
Pois já precisei desse perdão;
Amar incondicionalmente,
Pois também preciso desse amor;
A alegrar a quem precisa;
A pedir perdão;
A sonhar acordada;
A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário);
A aproveitar cada instante de felicidade;
A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar;
Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas", embora nem sempre consiga entendê-las;
A ver o encanto do pôr-do-sol;
A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser;
A abrir minhas janelas para o amor;
A não temer o futuro;
Me ensinou e está me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesma tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher.»

 

Fênix Faustine

foto | Alagoa | março'17

 

04
Abr17

todo caminho da gente é resvaloso

DSC03404.JPG

 

  

Todo caminho da gente é resvaloso.
Mas também, cair não prejudica demais
A gente levanta, a gente sobe,
a gente volta!...
O correr da vida embrulha tudo, a vida
é assim: Esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa,
Sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.
Ser capaz de ficar alegre e mais alegre no
meio da alegria,
E ainda mais alegre no meio da tristeza...

 

João Guimarães Rosa
in Grande Sertão Veredas  

foto | Alagoa | março'17

02
Abr17

quando vier a Primavera

DSC03424.JPG

 

  

Quando vier a Primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.
A realidade não precisa de mim.

 

Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma

 

Se soubesse que amanhã morria
E a Primavera era depois de amanhã,
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã.
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.

 

Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.

 

Alberto Caeiro

 

foto | Alagoa | março'17

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.