Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora

Há pequenos instantes na vida que preenchem o momento. É preciso recomeçar a viagem. Sempre!

Há pequenos instantes na vida que preenchem o momento. É preciso recomeçar a viagem. Sempre!

andar por fora

20
Dez17

Lisboa com suas casas de várias cores

sonia'g

DSC09348

 

Lisboa com suas casas
De várias cores,
Lisboa com suas casas
De várias cores,
Lisboa com suas casas
De várias cores...


À força de diferente, isto é monótono.
Como à força de sentir, fico só a pensar.
Se, de noite, deitado mas desperto,
Na lucidez inútil de não poder dormir,
Quero imaginar qualquer coisa
E surge sempre outra (porque há sono,
E, porque há sono, um bocado de sonho),
Quero alongar a vista com que imagino
Por grandes palmares fantásticos.
Mas não vejo mais,
Contra uma espécie de lado de dentro de pálpebras,


Que Lisboa com suas casas
De várias cores.
Sorrio, porque, aqui, deitado, é outra coisa.
À força de monótono, é diferente.
E, à força de ser eu, durmo e esqueço que existo.


Fica só, sem mim, que esqueci porque durmo,
Lisboa com suas casas
De várias cores.


Álvaro de Campos, Poesias

 

foto | Lisboa | dezembro'17

19
Dez17

quão doce é o louvor e a justa glória

sonia'g

DSC09166

 

Quão doce é o louvor e a justa glória
Dos próprios feitos, quando são soados!
Qualquer nobre trabalha que em memória
Vença ou iguale os grandes já passados.
As invejas da ilustre e alheia história
Fazem mil vezes feitos sublimados.
Quem valerosas obras exercita,
Louvor alheio muito o esperta e incita.

 

in «Os Lusiadas»
Luis Vaz de Camões

 

foto | Lisboa | dezembro'17

18
Dez17

navegador

sonia'g

DSC09944

 

Quando a nau se aproxima ergue-se a encosta

Em árvores onde o Longe nada tinha;

Mais perto, abre-se a terra em sons e cores:

E, no desembarcar, há aves, flores,

Onde era só, de longe a abstracta linha.

 

Pedro Álvares Cabral Navegador

 

foto | Padrão dos Descobrimentos - Lisboa | dezembro'17

 

16
Dez17

charmoso elevador da glória

sonia'g

 

DSC09314

 

O Elevador da Glória foi construído em 1885. É um dos três elevadores da cidade projetados pelo engenheiro Raul Mesnier du Ponsard.

 

DSC09326

 

Liga a Praça dos Restauradores à zona histórica do Bairro Alto, ao Miradouro de São Pedro de Alcântara e à Igreja de São Roque.

 

DSC09320

 

Uma viagem de 265 metros para cima e para baixo que se revela única e muito agradável.

 

DSC09330

 

foto | Elevador da Glória - Lisboa | dezembro'17

15
Dez17

se fosse uma cidade

sonia'g

 

DSC09215

Se fosse um bicho, havia de ser gato,
jamais um réptil, tão-pouco uma ave.
Teria um pêlo dócil e suave
e o olhar ideal para um retrato.

 

Se fosse arbusto, é certo que seria
uma frágil sardinheira,
mas nunca a urze rasteira
ou a silva bravia.

 

Se fosse uma cidade, era Lisboa,
com esta luz que me atordoa.

 

Torquato da Luz

 

foto | Lisboa | dezembro'17

14
Dez17

escadas

sonia'g

 

DSC09507

 



Escadas de caracol
Sempre
São misteriosas; conturbam...
Quando as desce, a gente
Se desparafusa...
Quando a gente as sobe
Se parafusa
-o peito
estreito –
o teto descendo
Descendo descendo como nas histórias de imortal horror!
Mas de que jeito,
Mas como pode ser.
Morrer cair rolar por uma escada de parafuso?
Além disso não têm, pelo dizem nenhuma acústica...
Oh! Não há como as escadarias daqueles antigos
edifícios públicos
Para ser assassinado...
Porém não fiques tão eufórico,
- nem tudo são rosas:
Há,
No sonho das velhas casas de cômodos onde moras,
Passos que vêm subindo degrau por degrau em
direção ao teu quarto
E “sabes” que é um fantasma chamejante e fosfóreo
- o corpo todo feito de inconsumíveis labaredas verdes!
O melhor
Mesmo
É fechar os olhos
E pensar numa outra coisa...
Pensa, pensa
- o quanto antes!
Naquelas podres escadas de madeira das casas pobres
-escurinho dos teus primeiros aconchegos...
Pensa em cascatas de risos
Escada a baixo
De crianças deixando a escola...
Pensa na escada do poema
Que tu
comigo
vem descendo
agora...
(Hoje em dia todas as escadas são para descer)
Mas não! este poema não é
Nenhum
Abrigo
Antiaéreo...
Ah, tu querias que eu te embalasse?!
Eu estava , apenas, explorando uns abismos...

Mario Quintana

 

foto | Elevador de Santa Justa - Lisboa | dezembro'17

13
Dez17

uma charmosa subida

sonia'g

DSC09540

 

Em pleno coração pombalino encontramos um dos ex-líbris de Lisboa:

o Elevador de Santa Justa.

 

DSC09227

 

 Uma construção singular em ferro forjado, com uma vista fenomenal.

A subida é irresistível. No seu topo, a 45 metros de altura, uma vista impressionante da capital.

 

DSC09231

 

O mais famoso e charmoso monumento da baixa oferece uma bonita panorâmica sobre a Baixa lisboeta e o Castelo São Jorge.

 

DSC09501

 

 Monumento Nacional desde 2002 é uma obra do arquitecto Raoul Mesnier du Ponsard, um aprendiz de Gustave Eiffel.

 

DSC09527

 

Construído em ferro fundido e enriquecido com pormenores em filigrana.

 

DSC09504

 

Digamos que é um bom descanso para as pernas numa lenta e prazerosa viagem.

 

fotos | Lisboa | dezembro'17

12
Dez17

bora lá navegar?

sonia'g

DSC09942

 

O padrão dos Descobrimentos é uma nau em betão, nas margens do rio Tejo, em tributo aos navegadores portugueses.

 

DSC09941

 

Na frente vemos representado o Infante D. Henrique,o navegador impulsionador das descobertas, a
liderar uma equipa completa a bordo pronta a descobrir o mundo.

 

DSC09928

 

No terraço existe com miradouro com uma magnífica vista panorâmica sobre o estuário do Tejo...

 

 DSC09934

 

...e a zona monumental de Belém. 

 

DSC09891

 

Este memorial visto da gigantesca Rosa-dos-Ventos transmite-nos a sensação da navegação em águas inexploradas da Era dos Descobrimentos.

 

fotos | Lisboa | dezembro'17

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D