Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora

Há pequenos instantes na vida que preenchem o momento. É preciso recomeçar a viagem. Sempre!

Há pequenos instantes na vida que preenchem o momento. É preciso recomeçar a viagem. Sempre!

andar por fora

11
Out17

a flor da solidão

sonia'g

 

fotos  Acrópole de Atenas  agosto'17_14

 

Vivemos convivemos resistimos
cruzámo-nos nas ruas sob as árvores
fizemos porventura algum ruído
traçámos pelo ar tímidos gestos
e no entanto por que palavras dizer
que nosso era um coração solitário silencioso
silencioso profundamente silencioso
e afinal o nosso olhar olhava
como os olhos que olham nas florestas
No centro da cidade tumultuosa
no ângulo visível das múltiplas arestas
a flor da solidão crescia dia a dia mais viçosa
Nós tínhamos um nome para isto
mas o tempo dos homens impiedoso
matou-nos quem morria até aqui
E neste coração ambicioso
sozinho como um homem morre cristo
Que nome dar agora ao vazio
que mana irresistível como um rio?
Ele nasce engrossa e vai desaguar
e entre tantos gestos é um mar
Vivemos convivemos resistimos
sem bem saber que em tudo um pouco nós morremos

 

Ruy Belo

 

foto | Acrópole de Atenas | agosto'17

11
Out17

ouse, ouse... ouse tudo

sonia'g

foto  Mykonos  agosto'17_02

 

Ouse, ouse... ouse tudo!!!
Não tenha necessidade de nada!
Não tente adequar sua vida a modelos,
nem queira você mesmo ser um modelo para ninguém.
Acredite: a vida lhe dará poucos presentes.
Se você quer uma vida, aprenda... a roubá-la!
Ouse, ouse tudo! Seja na vida o que você é, aconteça o que acontecer.
Não defenda nenhum princípio, mas algo de bem mais maravilhoso:
algo que está em nós e que queima como o fogo da vida!!

 

Lou Andreas-Salomé

 

foto | Mykonos | agosto'17

10
Out17

os soldados Evzones em Atenas

sonia'g

DSC08008

 

Em frente ao Parlamento de Atenas, todos os dias de hora em hora, é feita a troca da guarda presidencial.

 

DSC08003

 

Os Evzones, é o nome das unidades de elite da infantaria do exército grego. Hoje, ele se refere aos membros da Guarda Presidencial, uma unidade de elite cerimonial que guarda o túmulo grego do Soldado Desconhecido, a Mansão Presidencial e o portão do quartel dos Evzones em Atenas. Os Evzones são conhecidos também, coloquialmente, como Tsoliades. Os Evzones foram estabelecidos oficialmente pelo Rei Otto Grécia em suas aparições oficiais.

 

DSC08022

 

Embora a Guarda Presidencial é uma unidade predominantemente cerimonial, todos os Evzones são voluntários do Exército, Infantaria, Artilharia e Corpo blindado. Evzones potencial são normalmente identificados nos centros de treinamento de recrutas do Exército durante o treinamento básico; há uma exigência mínima de altura de 1,86m para participar.

 

DSC08001

 

A unidade é famosa em todo o mundo pelo seu tradicional uniforme, que evoluiu a partir das roupas usadas pelos que combateram a ocupação otomana da Grécia. O item mais visível desse uniforme é a fustanella, uma peça de roupa como um kilt. Sua bravura e vestimenta peculiar transformou-os em uma imagem popular do soldado grego, especialmente entre os estrangeiros.

 

DSC08029

 

Através da história os batalhões de Evzones tornaram-se símbolos de bravura para o povo grego. Hoje em dia, os Evzones, chamados soldados da Guarda Presidencial, realizam missões simbólicas, protegendo o “Syntagma” (a Casa do Parlamento grego) e a casa do presidente.

in Turismo Grécia

fotos | Atenas | agosto'17 

10
Out17

os frutos vão amadurecer

sonia'g

DSC08546

 

Se te contentas com os frutos ainda verdes,
toma-os, leva-os, quantos quiseres.
Se o que desejas, no entanto, são os mais saborosos,
maduros, bonitos e suculentos,
deverás ter paciência.
Senta-te sem ansiedades.
Acalma-te, ama, perdoa, renuncia, medita e guarda silêncio.
Aguarda.
Os frutos vão amadurecer.

 

Professor Hermógenes

 

foto | Son Bou - Menorca | agosto'17

09
Out17

o girassol

sonia'g

DSC05824

 

 

Girassol que na retina
Da planície se dissolve.
És a cor mais repentina
Da aragem que te envolve.

Girassol que só te viras
Ao que não te fica perto
E só giras porque giras
Sobre o teu eixo secreto.

 

Girassol que sem volume
Volume que sem contorno
No despegar-se resume
Só a pressa do retorno.

 

Natália Corrreia 

 

foto |  Alagoa | agosto'17
texto | in "Antologia Poética - Natália Corrreia | D. Quixote | 2013

09
Out17

a beleza da linguagem

sonia'g

DSC08627

 

 

Eu, que amei com verdadeiro amor cada pedra do meu caminho e, sobretudo, a pedra trabalhada pela mão do homem, o tijolo, a pedra da calçada, porque compreendi toda a amargura do trabalho, e para além desta amargura toda a beleza do trabalho, eu que surpreendi o segredo de cada palavra, de cada pedra que eu soube abrir como se abre uma ostra para lhe saborear o fruto acompanhando-o com vinho branco, eu que abri o pelo ouriçado das palavras novas com tesouras de claridade - moeda sonora batida na efíge do sol -, eu posso-vos dizer: amemos as palavras porque as palavras vêm dos nossos irmãos e a nossos irmãos regressam.

Acolhamo-las, pois, fraternalmente. Sejamos a encruzilhada, o centro incandescente donde elas ressurgirão mais novas, mais precisas, mais reais.

Com estas pedras que fiz cantar como um seixal, construamos belos edifícios onde viverá o pensamento. O pensamento habita a frase e anima-a como o caracol a sua concha. Cuidemos da nossa sintaxe, cultivemos o nosso vocabulário: não deixemos abrirem-se muros nem oxidarem-se os instrumentos. Jovens poetas, amemos esta bela linguagem e celebremos as núpcias das palavras como real.

 

André Liberati

 

foto | Cala Pregonda | agosto'17
texto | in " Voz Consoante - Traduções de Poesia" de António Ramos Rosa - Quasi Edições | 2006

 

08
Out17

é como apanhar um peixe

sonia'g

DSC06648

 

 

Arte Poética

 

Escrever um poema
é como apanhar um peixe
com as mãos
nunca pesquei assim um peixe
mas posso falar assim
sei que nem tudo o que vem às mãos
é peixe
o peixe debate-se
tenta escapar-se
escapa-se
eu persisto
luto corpo a corpo
com o peixe
ou morremos os dois
ou nos salvamos os dois
tenho de estar atenta
tenho medo de não chegar ao fim
é uma questão de vida ou de morte
quando chego ao fim
descubro que precisei de apanhar o peixe
para me livrar do peixe
livro-me do peixe com o alívio
que não sei dizer

 

Adília Lopes

 

foto | Kusadasi | agosto'17

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D