Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

andar por fora

Há pequenos instantes na vida que preenchem o momento. É preciso recomeçar a viagem. Sempre!

Há pequenos instantes na vida que preenchem o momento. É preciso recomeçar a viagem. Sempre!

andar por fora

24
Jul17

as raízes da água

sonia'g

foto Ilhas Cies - Vigo junho'17 18

 

A água não é vá ela levanta-se ela viaja

e sente a todo o instante o desejo de azular tudo

ah que grande coisa é nascer numa fonte

e possuir tantos braços tantos dedos para escrever

a vontade de enumerar as teras como bens

 

Christian Gali

 

foto | foto Ilhas Cies - Vigo | junho'17
texto | in " Voz Consoante - Traduções de Poesia" de António Ramos Rosa - Quasi Edições | 2006

23
Jul17

ruínas

sonia'g

Alagoa_março17_05

 


Se é sempre Outono o rir das Primaveras,
Castelos, um a um, deixa-os cair...
Que a vida é um constante derruir
De palácios do Reino das Quimeras!

 

E deixa sobre as ruínas crescer heras,
Deixa-as beijar as pedras e florir!
Que a vida é um contínuo destruir
De palácios do Reino das Quimeras!

 

Deixa tombar meus rútilos castelos!
Tenho ainda mais sonhos para erguê-los
Mais alto do que as águias pelo ar!

 

Sonhos que tombam! Derrocada louca!
São como os beijos duma linda boca!
Sonhos!... Deixa-os tombar... Deixa-os tombar.

 

Florbela Espanca

 

foto | Alagoa | março17
texto | in "Florbela Espanca - Sonetos" - Bertrand Editora | 2009

 

21
Jul17

é preciso

sonia'g

 

foto Ilhas Cies - Vigo junho'17 13

 

É preciso um novo tempo
que nas asas do vento
transporte esperança
às crianças grandes, carentes...

 

É preciso sorrir
e espantar a tristeza
que esconde a beleza
e faz a vida escura
obscura,
destituída de encantos...

 

É preciso sonhar
e espantar os pesadelos
que em tétricos modelos
assombram no espaço
os nervos de aço
do destino incerto...

 

É preciso crer no amanhã
e buscar na desventura
a invisível ternura
de mãos ocultas
e corações errantes...

 

É preciso ir andando
no meio fio da existência
acumulando experiência
para que na hora final
o assombro não seja tal
que nos derrube no espaço...

 

É preciso um novo tempo
e também muito sentimento...
É preciso sorrir
e também muita alegria...
É preciso sonhar
e também muita poesia...
É preciso crer
e também uma crença pura...
É preciso caminhar
e também achar o caminho certo...
É preciso tudo isso
e além disso...
Muito peito e valentia!

 

Ivanir Sanches

 

foto | Ilhas Cies - Vigo | junho'17

21
Jul17

o meu olhar azul como o céu

sonia'g

foto  Cabo Finisterra  junho'17 14

 

 

O meu olhar azul como o céu
É calmo como a água ao sol.
É assim, azul e calmo,
Porque não interroga nem se espanta...

Se eu interrogasse e me espantasse
Não nasciam flores novas nos prados
Nem mudaria qualquer coisa no sol de modo a ele ficar mais belo...
(Mesmo se nascessem flores novas no prado
E se o sol mudasse para mais belo,
Eu sentiria menos flores no prado
E achava mais feio o sol...
Porque tudo é como é e assim é que é,
E eu aceito, e nem agradeço,
Para não parecer que penso nisso…).

 

Alberto Caeiro

foto | Cabo Finisterra | junho'17
texto | in "Pessoa e Pessoas de Pessoa" - EXINOV Editora | 2010

20
Jul17

o equilíbrio da vida

sonia'g

foto  S. Torcato - Guimarães  fevereiro'17 (2)

 

O excesso de luz cega a vista.

O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.

 

Lao-Tsé

 

foto | S. Torcato - Guimarães | fevereiro'17

20
Jul17

desejos vãos

sonia'g

foto Cascata de Ézaro junho'17 11

 

 

Eu queria ser o mar de altivo porte
Que ri e canta, a vestidão imensa!
Eu queria ser a Pedra que não pensa,
A pedra do caminho, rude e forte!

 

Eu queria ser o Sol, a luz intensa,
O bem do que é humilde e não tem sorte!
Eu queria ser a ávore tosca e densa
Que ri do mundo vão e até da morte!

 

Mas o Mar também chora de tristeza...
As ávores também, como quem reza,
Abrem, aos Céus, os braços, como um crente!

 

E o Sol altivo e forte, ao fim de um dia,
Tem lágrimas de sangue na agonia!
E as Pedras...essas...pisa-as toda gente!...

 

Florbela Espanca

foto | Cascata de Ézaro | junho'17 
texto | in "Florbela Espanca - Sonetos" - Bertrand Editora | 2009

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D