Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

andar por fora

à descoberta da plenitude de um instante eternizando o momento que passa

andar por fora

à descoberta da plenitude de um instante eternizando o momento que passa

canção medrosa

 

DSC04431

 

 

Na noite lívida, o Medo

Vem bater à minha porta,

Como um segredo

Da Esfinge morta.

 

Anda a rondar nas estradas,

Nas brancas encruzilhadas;

Nos sombrios pinheirais,

Onde o vento

Violento,

Há mil sombras murmurando,

Torvas de gestos, dançando

Ermas danças espectrais!

 

E todo se exalta e alegra!

Doido, ri na noite negra,

E, doido, esboça,

Quando cinge,

N'um desejo mais aceso

Que uma estrela,

Alma sozinha que passa...

E, de súbito, congela,

Sob o peso

Dos teus olhos, muda esfinge!

....

 

Teixeira de Pascoaes

 

foto | Serralves | junho'17
texto | in " A Poesia de Teixeira de Pascoaes" de Jorge de Sena - Brasília Editora | 1982