Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

andar por fora

à descoberta da plenitude de um instante eternizando o momento que passa

andar por fora

à descoberta da plenitude de um instante eternizando o momento que passa

a olhar, a olhar, no além

praia d'el rey_abril17_13

 

...

Ó desmaiados 

Sonhos dispersos, vibrações anímicas;

Ondulações de névoa e de penumbra;

Rumores de luar, confusas vozes,

Remota claridade que se alumbra...

Ermas visões, fantasmas solitários;

Espectros de arvoredos e de estrelas,

De horizontes, de mares, de Calvários,

De pedras mortas e criaturas mortas!

Ó fumos espectrais que a Natureza,

Como um incêndio, exala no Infinito,

Trespassais o meu corpo de tristeza,

De alto mistério e perturbante enigma!

E sinto-me a afogar num mar de névoa...

E fico assim, a olhar, a olhar, no Além...

Através deste sol amanhecido,

A Penumbra ancestral, a Noite mãe!

...

 

foto | Praia d'el rey | abril17
texto | in " A Poesia de Teixeira de Pascoaes" de Jorge de Sena - Brasília Editora | 1982

 

 

 

2 comentários

Comentar post